FEMADUM 2016

08/01/2016 13:55:34

alt

A TVE Educativa da Bahia e o Portal do IRDEB transmitem ao vivo, no próximo domingo, 10.01, um dos eventos gratuitos mais populares da Bahia. O Festival de Música e Artes Olodum – FEMADUM – acontece no Largo do Pelourinho com o tema "Brasil, mostra tua cara! Sou Olodum, quem tu és?", nos dias 9 e 10 de janeiro e, no dia 10, você pode acompanhar ao vivo de onde estiver através do nosso portal.

Este ano, as canções vencedoras, que se basearam no tema do Carnaval, foram "Tambor Varonil" (Jucka Maneiro/Sandoval/ Roberto Cruz) e "Dores e Glórias" (Ell Costa/Graziela Ayres/ Uéslei Lopes).

O festival

O FEMADUM é o principal evento cultural do Olodum, antes do carnaval. Criado pelo Bloco Afro Olodum nos anos 80, o festival divulga a diversidade da cultura afro baiana e brasileira, além de dar oportunidade e visibilidade a talentos populares que buscam na cultura Afro uma fonte de inspiração e de desenvolvimento de ações.

Ao longo de 36 anos, teve a participação de um público superior a 300 mil pessoas, com uma média de 10 mil por eventos. O Femadum foi registrado em forma de vídeo pela TV Granada em 1981 dentro do filme "Carnival Bahia" dirigido por Carlos Passini, sendo o primeiro evento de um bloco afro a ser transmitido em imagens para a Inglaterra e o mundo e nos últimos anos tem sido transmitido pela TVE Educativa da Bahia para cerca de 280 municípios baianos.

O Femadum lançou para o cenário musical baiano e brasileiro, jovens e talentosos compositores, até então desconhecidos, a exemplo de Suka, Rey Zulu, José Olissam e Domingos Sergio, Sergio Participação, Jauperi, Pierre Onassis, Tonho Matéria, Valter Farias e Adailton Poesia, e o trio formado por Jucka Maneiro, Roberto Cruz e Sandoval, Legel, Wellington Epiderme Negra, Nego do Barbalho e Zenilton Ferraz, Ell Costa, Graziela Ayres, Uéslei Lopes.

Foi no Femadum que, na década de 80, Luciano Gomes apresentou a música Deuses Cultura Egípcia, popularmente conhecida como “Faraó”. Música responsável por, ao mesmo tempo, dar visibilidade e popularidade ao Olodum e ao samba-reggae. 

Já participaram do evento vários grupos artísticos baianos, nacionais e internacionais, particularmente aqueles vinculados à cultura negra, além de personalidades de notório reconhecimento público, a exemplo de: Jimmy Cliff, Linton Kwesi Johnson, Mutabaruka, (Jamaica) o reggae man do Mali, Koko Dembele, Ray Lema do Congo, os angolanos Filipe Mukenga, Irmãos Almeida, MFA Kera de Madagascar, o Grupo musical Kilombo da Venezuela, e Afro Colômbia. Gal Costa, Caetano Veloso, Sandra de Sá, Roberto Ribeiro, Luiz Melodia, Elza Soares, Mário Gusmão, Gilberto Gil, Daniela Mercury, Lazzo, Margareth Menezes, Xangai, Lecy Brandão, Ney Lopes, Banda Mato Seco, Emicida, Banda Tribo de Jah e Zezé Motta foram alguns dos artistas nacionais presentes. Personalidades como Pierre Verger, Mestre Didi, Mãe Estela de Oxossi do Terreiro Axé Opo Afonjá, o senador Abdias Nascimento e o presidente do SOS Racismo Francês e Sr. Harlem Desir.

A cada ano, o Femadum desenvolve um tema ligado ao contexto histórico-político-cultural vinculado ao enredo do carnaval. Assim, o festival já teve como tema: em 1992 – 500 anos da América Um Olhar Para o Futuro; em 1993 - O Berimbau; em 1995 – Os 300 Anos de Zumbi dos Palmares; em 2006 - Angola a Pátria Mãe de Milhões de Brasileiros; em 2009 - Povo Dogons (Mali); em 2010 – O Povo das Estrelas; em 2011 – Democracia e Comunicação; em 2012 – A Energia da Música Percussiva; em 2013 – Samba, Futebol e Alegria – Raízes do Brasil; em 2014 - Ashanti - O trono dourado - Yaa Asantewaa; em 2015 – Etiópia – O novo espírito africano – O pagador de Promessa; em 2016 -  Brasil, mostra tua cara! Sou Olodum, quem tu és?

FEMADUM 2016

Em 2016, pela primeira vez na história do FEMADUM, duas canções ficaram em primeiro lugar. A música “Dores e Glórias”, de Uéslei Lopes, Ell Costa e Graziela Ayres - primeira mulher a conquistar o primeiro lugar no Festival - e “Tambor Varonil”, de Sandoval Melodia, Jucka Maneiro e Roberto Cruz. 

No Femadum 2016 o Olodum fará algumas merecidas homenagens, entregando o Troféu Ujaama à personalidades que contribuíram e contribuem para o fortalecimento do Olodum e para a valorização da população afrobrasileira: Débora Regina Souza (Presidente do grupo Didá), Fabíola Mansur (Oftalmologista e Deputada Estadual - PSB), Juvenal Payayá (Cacique da Aldeia Payayá), Célia Sacramento (Vice-Prefeita de Salvador), Jorge Portugal (Intelectual, compositor e poeta), Zebrinha (Coreógrafo do Bando de Teatro Olodum e do Balé Folclórico da Bahia), Marcos Terena (Presidente do comitê internacional dos Jogos Indígenas) e o projeto “A voz do Subúrbio”.

No Festival de Música e Artes Olodum 2016 e, em sintonia como o tema do evento, a diversidade cultural brasileira mostrará a sua cara, por meio de um diálogo entre a cultura indígena, a africana e a europeia. Uma verdadeira reflexão sobre a formação do povo brasileiro, por meio da dança, do canto, da percussão, da alegria, da consciência e protesto social. 


Programação:

FEMADUM – Festival de Música e Artes Olodum

Dias 09 e 10 de Janeiro de 2016

Horário: 13h às 17h

Local: Largo do Pelourinho

Gratuito


Sábado, 09 de janeiro

Largo do Pelourinho

13h00 – Banda Percussiva Olodum e ala de canto

14h00 -  Banda Percussiva Olodum e ala de canto

14h40 – Banda Atabassabar

15h00 – Banda Percussiva Olodum e ala de canto

16h40- Adelmario Coelho – Forró

16h10 – Banda Percussiva Olodum e ala de canto

17h00 – Banda Percussiva Olodum encerramento


Domingo, 10 de janeiro - Transmissão ao vivo pela TVE e Portal do IRDEB

Largo do Pelourinho

13h00 – Abertura  - MC

13h10 – Banda Percussiva Olodum e ala de canto

13h40 – Banda Afrosambah – Pop músic

14h10 -  Banda Percussiva Olodum e ala de canto

14h40 – Entrega do Troféu Ujaama

15h00 – Banda Percussiva Olodum e ala de canto

15h30 – Edson Gomes - Reggae

16h30 – Banda Percussiva Olodum

17h00 – Encerramento