Canal da Cidadania

26/05/2015 15:51:30

alt

O Terceiro Encontro de ASCOMs, realizado pela Secretaria de Comunicação do Estado no último dia 21.05, no auditório da Procuradoria Geral do Estado, reuniu jornalistas das diversas secretarias e órgãos do governo com o objetivo de aumentar a sintonia entre as assessorias de comunicação governamentais. Durante o encontro o secretário de Educação Osvaldo Barreto falou sobre o programa “Educar para Transformar, Um Pacto pela Educação”, o jornalista Alberto Oliveira proferiu a palestra “O Futuro do Jornalismo” e o diretor-geral do IRDEB, José Araripe Jr. apresentou o Canal da Cidadania, que em Salvador é composto por quatro faixas de conteúdo - uma para o Estado, outra para a Prefeitura da capital e duas para representantes da sociedade civil. Cada um dos responsáveis pela sua faixa produz  o conteúdo que será veiculado através dos transmissores da TVE Bahia . 

Primeiro canal 

O diretor geral do IRDEB, José Araripe, também participou de uma reunião estratégica para a construção da TV Comunitária/Canal da Cidadania e apresentação do Projeto “Brasil Reconhece o Brasil – Educação para a Cidadania nos Territórios de Identidade da Bahia”, na sede da Organização Filhos do Mundo - FEME, primeira entidade da sociedade civil baiana a ganhar a concessão do Canal da Cidadania. A reunião contou com a presença de Pola Ribeiro, secretário de Audiovisual do Ministério da Cultura. A Organização Filhos do Mundo – FEME é uma instituição vinculada ao Movimento Social Povos Brasileiros (MSPB), que articula uma rede de trabalhadores e organizações que se relacionam na lógica de rede de produtores (as) livres e associados. 

O Projeto “Brasil Reconhece o Brasil – Educação para a Cidadania nos Territórios de Identidade da Bahia”, idealizado pelo MSPB, ao lado da FEME e entidades associadas, tem o objetivo de atender sete Territórios de Identidade do estado da Bahia: Metropolitano, Itaparica, Vale do Jequiriçá, Piemonte Norte do Itapecurú, Litotal Sul, Semiárido Nordeste 2 e Chapada, atingindo diretamente a mais de cinco mil famílias através de ações de empoderamento sócio-político, formação crítica e emancipatória, preservação da memória, fortalecimento e afirmação da identidade territorial em cada um dos territórios através de linguagens artísticas.